Portfolio > Folha de SP > reportagens > 1999

Emissoras de TV também fazem cortes em seriados, 28/11/1999

Além de suprimir trechos de filmes, como revelou o TV Folha na semana passada, canais editam séries
ALEXANDRE MARON, DA SUCURSAL DO RIO

A MUTILAÇÃO dos filmes exibidos na TV atinge também os seriados. Os jovens da série “Barrados no Baile”, a caça-vampiros Buffy e até heróis como o agente McGyver e o Super-Homem não escapam à tesoura das emissoras. É praxe na Rede Globo, que no caso dos filmes corta cenas de sexo e violência, retirar a apresentação, a cena de abertura e os créditos das séries que exibe. A justificativa da emissora é a falta de espaço na grade, que a obriga a comprimir os programas.

Graças à tática da compressão, quem não tem TV paga nunca viu a apresentação de seriados como “Plantão Médico” (exibido no canal Sony), além do próprio “Barrados” (também no Sony) e de “Buffy – A Caça-Vampiros” (canal Fox).No caso de “Buffy”, a Globo não só editou episódios como ignorou a sequência. Exibiu o piloto e foi do segundo para o sétimo episódio, quando a heroína conhece o namorado, o vampiro Angel.A prática não é, pelo menos oficialmente, aprovada pelas distribuidoras. Mas, no caso de “As Novas Aventuras do Superman”, exibido de segunda a sexta dentro do “Angel Mix”, um episódio que tem em média 46 minutos é mostrado com 38.”Eu entrego a fita para eles com os 46 a 48 minutos, que é o padrão. Não tenho conhecimento de nenhum pedido para corte. A não ser que tenham alguma autorização da matriz, deveriam mostrar a série na íntegra”, afirma Loremberg Nascimento, gerente regional da divisão de TV da Warner, que distribui a série. No canal Warner é possível ver os episódios da série na íntegra.

A Globo não é a única que corta as suas séries. A Bandeirantes, até há pouco, usava o seriado “McGyver” para tapar buraco de sua programação. “Ele ficava entre o futebol e os telejornais no sábado. Editávamos para esse espaço. Mas recebíamos muitas cartas de fãs reclamando”, conta Fernando D’Avila, diretor de programação. A solução foi atingir uma vítima caseira. “Colocamos no horário ‘As Aventuras de Tiazinha’, que é produto nosso. Aí a gente mexe como quiser”, revela D’Avila.

A Band parece mesmo estar mais preocupada em agradar seu telespectador ultimamente. A emissora começou a exibir, de segunda a sexta, o programa “É o Bicho”, em que apresenta a série “Jornada nas Estrelas”. Nas primeiras semanas, mostrou os episódios sem os primeiros quatro minutos, mas, com os protestos de fãs, voltou a apresentá-los na íntegra.

A Record _emissora que afirma não cortar filmes, mas sim “editá-los”_ não costuma mutilar seriados. No entanto, censurou a exibição do episódio “Homem dos Milagres”, da série cult “Arquivo X”, que tinha como tema principal uma seita religiosa comandada por um charlatão. Os fã-clubes, que têm os capítulos originais em vídeo, notaram a ausência do episódio e protestaram. Meses depois, a Record corrigiu a falha.

Conte para os amigos!