Arquivos da categoria: Quadrinhos para iniciados

Em busca das ereções perdidas (?!)

Faz-me rir um texto desses. Mas vale uma lida na versão completa. Abaixo um trechinho…

“Nada tenho contra vigilantes, repito. Mas também acrescento que os vigilantes têm de cumprir dois requisitos básicos.
Em primeiro lugar, só podem existir na tela, não na vida real. Na vida real, continuo a preferir o Estado de Direito, em que existem leis, polícia e tribunais, e não loucos ou beneméritos que gostam de fazer justiça com as próprias mãos.
Mas mesmo os vigilantes das telas têm de cumprir um segundo requisito: não podem usar collants, máscaras, pinturas ou capas supostamente voadoras. Dizem-me que Batman, ou Super-Homem, é uma metáfora profunda sobre a nossa condição solitária e urbana; heróis derradeiros da pós-modernidade. Não comento. Exceto para dizer que morro de rir quando vejo um ator, supostamente adulto e racional, enfiado num pijama colorido e disposto a salvar a humanidade das mãos maléficas de um vilão tão ridículo e tão colorido quanto ele.
Sem falar dos fãs: homens feitos, alguns casados, que continuam a acreditar que um super-herói em pleno vôo compensa todas as ereções falhadas.”

Ereções falhadas… Uau!

Os ganhadores do Eisner em Época SP

Alguns meses atrás, quando ainda estava desenvolvendo Época SP, uma das coisas que eu queria era colocar na revista uma HQ que quebrasse os moldes do que se faz em HQs de revistas não quadrinhísticas no Brasil.

Eu queria algo fora do padrão. Mas o era mesmo que eu queria? Entrou em cena o editor de arte da revista, o Marcelo Furquim. Amante de quadrinhos, ele sugeriu Fábio Moon e Gabriel Bá. Os dois são muito, muito bons. Eu tenho três álbuns deles e mais algumas antologias. Coisa fina, de primeira. Concordei na hora, mas achei que eles é que não iam querer.

Conversamos, tivemos algumas idéias e eles fizeram algumas propostas. Toparam trabalhar para nós por menos do que estão acostumados unicamente pela vontade de fazer um projeto diferente. Depois, demoramos mais alguns meses para achar o espaço certo pra eles. A primeira história saiu no número quatro, que chegou às bancas neste sábado, dia 26.

No dia 25, na véspera da chegada da revista às bancas, eles ganharam o Eisner, o prêmio máximo dos quadrinhos. Muito legal. Parabéns, rapazes! :)

EW: os bastidores de Watchmen

A reportagem de capa da Entertainment Weekly fala dos bastidores de Watchmen de Zack Snyder, baseado na HQ de Alan Moore e Dave Gibbons. O trailer é animal. O filme a gente só vai conhecer no ano que vem. Ano passado, durante o lançamento de 300, eu conversei com Snyder por meia hora e um dos assuntos foi, claro, Watchmen. Ele disse algumas coisas que se confirmam agora: que a HQ sobre o navio pirata estaria num DVD (ou viria no DVD, special extended foderex edition), que tentaria manter o filme o mais fiel possível e que, que precisasse ficar de fora, estaria no box de DVDs (e blu-ray).

Homem de Ferro é boa surpresa

Que surpresa agradável esse Homem de Ferro, hein! Fui ver esperando pouco e dei de cara com um filme redondo, todo encaixadinho, divertido, bem feito. Talvez por isso tudo, seja um filme sem assinatura. John Favreau, o diretor, faz tudo certinho. Até demais.

A grande virtude do filme está no elenco impecável. Roberto Downey Jr. é a alma. Diferente de Tobey Maguire em Homem-Aranha, que pode ser trocado sem grandes problemas, é difícil imaginar Homem de Ferro sem Downey Jr. Perfeito. Jeff Bridges é um vilão de primeira. Aparece pouco e bem. Os efeitos são impecáveis.

Homem-Aranha tinha uma das melhores cenas de beijo da história do cinema, HdF traz uma cena também muito legal. Quando Tony chama Pepper (Gwyneth Paltrow) para ajudá-lo a trocar seu gerador-coração, surge uma daquelas situações metafóricas em que o mocinho dá à mocinha o acesso irrestrito a uma parte dele que andava esquecida. É genial. Tony está num momento absolutamente frágil e chama a única pessoa no mundo na qual confia. O que se segue é Pepper tocando em seu peito, hesitante, meio que sem saber onde as coisas iam parar. É então que ela conserta o que estava com defeito. Naquele momento, Tony e Pepper estão destinados a ser um do outro. Coisa pro segundo filme.

Homem de Ferro é um personagem que os meninos curtem. Toca fundo na nossa fascinação por gadgets e engenhocas eletrônicas, máquinas velozes. E, sim, não saia do cinema antes do fim dos créditos. Tem uma cena incrível que os marvetes não podem perder.