Que diferença um ano pode fazer

Ano passado, nesse mesmo dia, eu simplesmente não tinha energia para fazer uma festa. Meu cachorrinho amado, que nem tinha feito quatro anos, estava indo embora um dia depois do outro tomado pelo câncer. Se cachorros podem ser importantes numa família completa, com crianças brincando de guerra de travesseiros na sala, imagine para um jovem casal sem filhos.

Ficamos devastados. Apenas 15 dias depois, perdi meu labrador lindo. Morreu depois de uma cirurgia na qual tentamos dar a ele alguns meses de vida digna antes de dizer o definitivo adeus.

Em um ano, a gente se cura das feridas. Eu tenho um grupo de amigos e uma família incríveis. Os desafios do trabalho chegam todos os dias. Ha muito que se fazer, crescer, melhorar. A vida segue cheia de novidades. E este ano, me sinto outra pessoa. As coisas melhoraram muito e o futuro é colorido, HD e 3D.

Mas é muito importante entender que as coisas vão oscilar. Que vão ficar duras de novo. E boas. E que a gente precisa ter calma. Quando tudo parece pronto pra explodir. Respirar fundo e acreditar que tem jeito, que há um caminho, algum caminho. E que as feridas, mesmo deixando cicatrizes, vão sarar.

Levanta pra cair de novo. Só não fique lá preguiçosamente jogado no chão.

Conte para os amigos!