24 Horas virou Desejo de Matar

A oitava temporada de 24 Horas estava anódina até a metade. De repente, a coisa disparou e ficou divertida de novo. Mas por uma razão curiosa… De um certo ponto em diante, Jack está completamente sozinho, apenas atrás de vingança pela perda de seu milésimo “amigo”. Isso rendeu episódios cheios de suspense e ação, o que é ótimo, mas colocou Jack Bauer numa situação curiosa: a de virar uma espécie de Paul Kersey, o personagem de Charles Bronson na série Desejo de Matar. Jack começa a soltar frases de efeito típicas de filminhos feitos direto para DVD.

Seriados têm uma coisa curiosa. Depois de um certo ponto, você está tão envolvido com o personagem que acaba indo com ele aonde ele for, só para ver o que vai acontecer. Em séries normais, há espaço para inovações, mudanças de formato, episódios musicais, mudos, preto e branco, em plano sequência, contados pelo vilão, pelos fiéis companheiros. 24 Horas nunca pode fazer nada disso aprisionado que ficou num formato que, em 2001, era inovador. Depois de tanto tempo, só sobrou Bauer… e Chloe. E, bem, o delicioso vilão, reciclado da melhor de todas as temporadas da série (falo melhor dele a seguir, depois do pulo. Se você está lendo no RSS, que não tem pulo, e não quer saber nada sobre o que vai acontecer, PARE AQUI)

O grande acerto desse ano foi trazer Gregory Itzin de volta como o presidente Logan. Ele tinha sido inesquecível na sua personificação do homem sem caráter que faz qualquer negócio, o melhor de todos os vilões de 24 Horas. Veja que é dele a culpa pela morte do presidente Palmer e de Michelle Dressler (que causou a subsequente queda de Tony Almeida). No final daquela temporada, além de salvar o mundo e arruinar os planos de Logan, Bauer ainda teve a manha de incriminar o presidente corrupto e fazê-lo cair em desgraça. Logan voltou no ano seguinte, mas sua participação foi curta e sem brilho (saiu de cena após tomar uma facada da ex-mulher). Agora, retorna arrasando. Causou a morte de Renee Walker, jogou a presidenta em desgraça ao assoprar mefistofelicamente em seus ouvidos. Colocou um meganha no comando da CTU para evitar que Bauer colocasse as mãos em evidência mortal para seus planos. No final do episódio de ontem, nos segundos finais, a cara de Bauer quando descobriu que Logan estava por trás de tudo foi impagável.

Em paralelo, o que vimos nos últimos episódios foi um Jack Bauer completamente sem limites. Os escritores soltaram os cavalos. Jack está executando pelo menos um vilão secundário por episódio.

A transformação de Jack seja, apesar de pobre, é divertida. Mais que isso, traz a recompensa emocional que sempre foi parte da fórmula de 24 Horas. Mas não deixa de ser um tanto triste ver um inimigo de Bauer dizer: “vá pro inferno” e ele responder “você primeiro”. One liners dessa estirpe são coisas de escritores menores. Estão abaixo de um personagem tão interessante.

Conte para os amigos!

Nenhum Comentário