Por que um tablet (um iPad?) não é um CD-Rom?

Hype. Hoje e sempre. Mas vamos olhar por cima disso e tentar colocar as coisas em perspectiva sobre o mundo dos tablets e ipads da vida.

As pessoas estão repetindo que os tablets lembram CD-Roms. Nossa, eu não poderia discordar mais. Estão comparando um meio de armazenagem com um ambiente inteiro? CD-Roms estavam fadados a desaparecer porque eram apenas meios de armazenagem. Tudo o que eles tornaram possível numa era em que não havia internet foi absorvido e transformado em padrão sem que eles fossem necessários. Só isso. Qualquer website profissional mediano de hoje é mais interativo e multimídia do que um CD Rom de dez anos atrás.

O que CD-ROMs ofereciam era uma forma de envelopar produtos de mídia. E a entrega desses produtos aconteceria em computadores lentos, ineficientes e com teclados e mouses no caminho. Os tablets (e não só o ipad) querem oferecer uma forma diferente de usar isso tudo. Qual desses envelopamentos vai vencer é outra história. Mas temos, pela primeira vez (sem hype) um produto capaz de realmente substituir diversas outras formas de consumo de mídia. E esse produto apenas foi lançado, vai receber enormes incrementos e calibragens nos próximos anos.

No iPad, da Apple, a promessa é de um ambiente limpo, organizado em que tudo que está ali provou rodar direito na máquina. Em seguida, há o espaço simplificado para a venda de produtos de mídia. Começa aqui uma corrida para ver quem vai achar o jeito certo e lucrativo de vender e distribuir seus produtos. Várias empresas vão limitar enormemente o uso de seus conteúdos, com medo de como as pessoas vão usá-los. O tempo, e o mercado, vão dizer quem está acertando e quem erra. Tomar todo o mercado pelo que ele está apresentando em seus primeiros dias é só hype. Há que se esperar.

No final deste ano, teremos o primeiro round terminado. Vamos descobrir qual será o contra-ataque de Amazon e de diversas empresas de software e hardware. Teremos opções de leitores em preto e branco, cores, wi-fi, 3G. E as pessoas vão se organizar ao redor deles, formando grupos apaixonados de consumidores.

Vamos ver como se comportam os produtos prometidos pela HP, Microsoft e Google. Como seria um tablet poderoso, de plataforma completamente aberta e rodando Flash? Estou muito curioso para saber. Um mundo centrado no navegador, com enroeme simplicidade para entrar e desenvolver seus produtos. Estou esperando pela explosão criativa no desenvolvimento de fanzines multimídia, de HQs incríveis e animações feitas por amadores apaixonados e talentosos. Tudo isso com um aparelho ideal para o consumo simplificado e prazeroso disso tudo.

Sem hype. Vamos usar e tirar nossas conclusões.

Conte para os amigos!