A estupidez das multidões

Em seu livro “A Sabedoria das Multidões”, James Surowiecki explica como conectadas pelos novos meios digitais, uma multidão de leigos pode tomar decisões melhores do que certos especialistas. Eu lembro disso quando vejo a história da moça que foi ridicularizada por uma turba de imbecis numa faculdade de São Paulo. Porque essa semana, alguém que viu esse vídeo ao meu lado fez esse comentário sobre a burrice das multidões e mandou uma espécie de alusão a obsessão por “multidões” de quem trabalha com internet e mídias sociais.

Muito legal. Obrigado por exprimir uma opinião e tudo mais. É bonito ter interesse nos assuntos e coisa e tal. Mas corre-se o risco de virar-se um Andrew Keen, que escreveu um livro inteiro (O Culto do Amador) baseado no seu bico por ver que pessoas sem pedigree estavam ganhando importância e suplantando gente como ele. A Sabedoria das Multidões é um livro muito bem sacado, muito bem embasado e muita gente que não leu fala muita besteira sobre ele. Só isso.

A primeira comparação completamente despropositada é dizer que esse princípio da sabedoria não funciona, por causa do comportamento de manada. O princípio da sabedoria das multidões segue uma série de regrinhas. Por exemplo, os participantes dessa multidão estão separados e não se comunicam. É uma metáfora da multidão conectada e unida por meios digitais. Ao não interagir, elimina-se o comportamento de manada. Quando há uma discussão sobre uma decisão dentro dessa rede, forma-se outra estrutura em torno de influenciadores, mavens e conectores (que foi descrita em outro livro, O Ponto da Virada, de Malcom Gladwell.

A conexão desconectada da multidão, se bem usada, pode ser um bem inestimável.

Quando seres humanos se juntam em um mesmo lugar, seus comportamentos começam a influenciar o grupo num ciclo de realimentação. É aí que acontece o comportamento de manada e os linchamentos físicos e morais imperdoáveis que acontecem.

A multidão pode ser burra ou inteligente, de acordo com a hora e o lugar, com seu grau de conexão e com as conexões e tipos de comunicação que ocorrem entre seus integrantes. Opinião pública, por exemplo, não é a multidão de Surowiecki, porque funciona em torno de uma intensa rede de conecções e influências. Não vamos confundir. Sejamos inteligentes.

Conte para os amigos!