Volto em menos de dois meses

Tem sido um ano fantástico. Ainda não acabou, mas foi trasnformador. QUando eu estava me preparando pra vir, fiz mil planos achando que ia blogar muito, fazer podcasts e coisas do gênero. Era meio que um plano B para o que eu imaginava ser uma existência difícil, solitária.

E foi sim. Mas de uma forma diferente. Mergulhei nos livros como eu queria há anos. Minha formação é de jornalista com um conhecimento de business muito rudimentar. Aqui olhei pra meu trabalho com novos olhos, uma visão mais aberta, mais ampla. Algo que me faltava.

Aqui fiz amigos de todos os cantos do mundo. Tem o Shanil da África do Sul, a Maya do Líbano, a Catherine da Alemanha, a Katarina da Sérvia. Tem a Nuria do Equador, a Nadine do Egito, a Lei da China. Johana da Colômbia, e Rohit, Arun, Sneha, Karuna e Pallavi da Índia.

No meio disso tudo, com tantas coisas pra ver. Bloguei pouco. Li muito. Escrevi sobre meu trabalho. Quero que vire algo mais. Coloquei no lugar minhas idéias sobre ferramentas de raciocínio e criatividade. Fiquei mais seguro de que tinha um caminho para aplicar a diversos problemas que encontro no meu dia a dia como administrador de conteúdo.

Não sou só editor mais. Administro recursos para a produção de conteúdo. É uma função intensamente criativa, mas vai além da pura criação e enfrenta problemas diários de logística e business. Meu foco mudou, mas ainda estou num meio em que minha principal arma, minha criatividade, é crucial. Ainda bem.

Nos próximos meses, quero dar mais força ao meu outro site, em inglês, o Play Factor. Ali vai ser o foco do meu trabalho sobre um framework de resolução criativa de problemas usando técnicas de várias mídias, principalmente mídias sociais e game design.

E a partir de setembro estou de volta à Editora Globo para ajudar a empresa que me deu a maior força e enfrentar todos esses desafios malucos e me deu a tranquilidade para pensar so na minha pesquisa.

Conte para os amigos!