Buffy e Crepúsculo: Oportunismo é a alma do negócio

Quando eu digo que Buffy é um seriado genial, estou acostumado a receber aqueles olhares de desprezo e incredulidade. Já me acostumei a nem perder tempo. Ou você entende do que eu estou falando quando elogio a série ou não. O nome, a idéia que vem na superfície brincam justamente com os títulos bobos de pulps e filmes B. Por isso soam bobos. Algumas pessoas vão além dessa superfície. Outras se resumem a torcer o nariz. É mais feliz quem testou.

Como jornalista que viveu dez anos cobrindo TV e cultura (pop e nem tão pop assim), me acostumei a ver primeiro para falar depois. Tem um sofrimento nisso. Você vê muita porcaria. Muita mesmo.

Mas me desviei um pouco do assunto. Estou falando de Buffy e da leitura superficial que as pessoas fazem da piada (achando que é o conceito) porque estava lendo na Variety que querem fazer um filme de Buffy para aproveitar a onda de Twilight (Crepúsculo). Vampiros!!! Urru! Olhando pelo ângulo de negócios, a idéia é boa. Faz sentido aproveitar o momento para lançar mais produtos que vão interessar a esse consumidor.

Só que em vez de procurarem Joss Whedon, o cara que criou a personagem, a transformou num ícone e criou uma das séries mais bacanas das últimas décadas, não procuraram por ele (ainda). Buffy é um conceito tão sacana e tão irônico que sua primeira encarnação, num filme de 1992, com Kristy Swanson, Luke Perry, Hilary Swank e Donald Sutherland, foi um desastre. O script de Whedon foi tão terrivelmente mal intepretado pela direção que a idéia quase se perdeu completamente. O diretor pegou a piada, mas não sacou o que estava por trás.

Não por acaso, alguns anos depois Whedon reconstruiu o conceito do seu jeito na TV, uma mídia que dá mais ouvidos ao escritor e consegue se aproximar de suas idéias originais. Buffy terminou em 2003 na TV. Os DVDs ainda vendem bastante, há uma HQ ótima disponível nas lojas. A personagem está viva e até sua intérprete ainda é jovem e linda. Seriados de TV nunca foram tão respeitados e bem feitos. Então por que reinventar a roda, hein? Vai entender. Como o projeto ainda está na fase inicial, estou torcendo para que Whedon seja procurado e colocado no comando do projeto. Ia ser sensacional.

Conte para os amigos!