Turismo experimental

Não é novidade, talvez você já tenha ouvido falar disso. Um casal chega numa cidade separado e, sem poder se telefonar ou combinar, precisam dar um jeito de se encontrar. Um grupo de amigos resolve explorar Paris começando na Rue de l’Abbaye e termnando na Boulevard de la Zone. Uma pessoa passa 24 horas em um aeroporto. E por aí seguem os experimentos turísticos.

O turismo experimental virou um negócio mais ou menos organizado em 1990, quando o jornalista francês Joel Henry bolou essa modalidade que tenta bolar formas lúdicas de conhecer as cidades. E não confunda as coisas: o turismo convencional vai bem obrigado e é ótima diversão. O que Henry propõe é uma alternativa, experimentos divertidos para tentar em certos momentos. E, afinal, não é pra qualquer um. Bom, o fato é que o francês criou até uma organização em torno disso, a Latourex. Vá ver o site. É absurdamente simples, só com textos explicando os experimentos propostos e o endereço físico e o e-mail da, hum, organização. A inspiração de Joel Henry é nos movimentoso surrealista, dadaísta e sei-lá-mais-o-quê-ista do meio do século 20, que adoravam estabelecer regras arbitrárias para subverter a realidade de alguma forma.

Um outro dado interessante é que o conceito funciona muito bem pros europeus, que viajam bastante. Para a classe média brasileira, seria um desperdício (quase que uma maluquice mesmo) ir a Paris e resolver passar a viagem vendado (eu mando internar, juro). Mas para povos que viajam para esses lugares com passagens superbaratas, isso até faz algum sentido.

As reações são variadas. Tem gente que acha uma verdadeira babaquice. Há quem adore a idéia. Viajar o mundo deveria ser uma aventura por si só. Mas como eu sou fissurado em jogos, gostei da idéia que ficou cristalizada no livro chamado The Lonely Planet Guide to Experimental Travel.

Eu esbarrei nesse conceito em 2005, naquela Borders da Third Street Promenade, em Santa Mônica, que nem existe mais. Não comprei o livro, mas passei umas duas horas lendo um monte de coisas e achando o diletantismo da idéia muito engraçado.

E as idéias são bem malucas. Um outro site, o Roadjunky não hesitou em dar uma boa sacaneada nesse conceito e bolou uma lista de 101 idéias de viagens experimentais. Alguns são verdadeiros absurdos. Outros, são achados que eu gostaria de executar. No fim, é só mais uma forma de curtir.

Conte para os amigos!

Nenhum Comentário