Somos mais iguais do que gostaríamos

Os brasileiros têm um problema de auto-estima bem curioso (Ok, todo mundo tem o seu, mas eu sou brasileiro, então vou falar do nosso, ok?). A gente acha que algumas coisas (erradas) só acontecem no Brasil e adora dizer “Rá! No (coloque aqui seu país de Primeiro Mundo) isso não acontece!! Legal, legal. Mas acontece.

Aqui tem mais infra-estrutura, mais tradição e um cidadão com um nível educacional superior, na média. E a média é só a soma de todo mundo, dividido pelo número de pessoas. Uma boa infra-estrutura permite que os fora de série se sobressaiam. Uma estrutura ruim os enterra num canto qualquer onde eles pode nunca ser notados.

E aqui (surprise, surprise) também tem muita bobagem. Um monte de erros grosseiros e roubo. Isso mesmo, o pessoal do Primeiro Mundo rouba. Muito. Eu sei, eu sei. Não é novidade, você deve saber que não é. Mas as pessoas insistem em fingir que eles são perfeitos e nós somo lixo, então é bom relembrar isso de vez em quando. Aqui, como no Brasil ou em qualquer lugar do mundo, os políticos usam mal o dinheiro do contribuinte. Eles deixam o governo pagar as coisas pra eles!! Nossa!

E essas barbaridades acontecem na França, na Itália, no Japão…

No momento, o pau está comendo aqui porque os parlamentares são cheios de mordomias e abusam. Nossa, mas isso não era algo que só acontecia no Brasil? Hum. Não. As empresas estão quebrando, negócios que daí de longe parecem coisas grandiosas são micro-empresas de fundo de quintal iguais as nossas e eles cometem erros grosseiros de organização todos os dias. Minha amiga alemã disse que, para ela, a Inglaterra parece um país em desenvolvimento.

Comece a aceitar que eles não sabem direito o que estão fazendo. Só fingem melhor do que a gente.

Conte para os amigos!