O aceno de Obama

Hoje, o presidente americano, Barack Obama, enviou uma mensagem ao povo e aos líderes iranianos (no G1 e no Guardian). Digo ao povo e aos líderes porque você só lança um vídeo que o mundo todo pode ver quando está interessado em mandar uma mensagem mais ampla.

Funciona assim: eu estou falando com os líderes, mas ao falar para eles publicamente estou falando para todo mundo que estou aberto a uma nova fase. A mensagem ganha novo significado. Ao mesmo tempo, como muitos iranianos podem ver a mesma mensagem que os líderes (eu não sei quantos, vou perguntar pros meus dois amigos iranianos aqui no curso), cria-se um clima de pressão pública natural. Em alguns casos, positiva. Noutros, negativa. Da mesma forma que o povo iraniano pode gostar e pressionar seu governo na direção de um diálogo, é possível que eles achem que tudo não passa de um golpe e simplesmente queiram que o governo endureça ainda mais com os americanos.

Assim, é claro que não existe movimento isolado, inocente. Os americanos, como ninguém, entendem o significado e o peso de mensagens. Mas eu estou interessado em saber as opiniões dentro do país. Afinal, a última vez que um democrata demonstrou algum tipo de “elasticidade” diante dos iranianos, perdeu a reeleição e foi visto como fraco. Foi Jimmy Carter, que entregou o governo a Ronald Reagan em 1982.

Conte para os amigos!