Lost S05e06: Eu voltei!

Mais uma semana, mais revelações, mais perguntas que vão surgindo. Mas Lost, sem dúvida, entrou numa fase fantástica, em que não há espaço para enrolação. Todo episódio traz alguma novidade, algum pequeno pacote de informação que satisfaz alguma necessidade dos fãs. É aquela recompensa emocional que desapareceu no meio do terceiro ano, quando a série estava com seu futuro indefinido. Depois da revelação do acordo que definiu o fim da série para 2010, os autores aprumaram e a série nunca mais decepcionou.

O marco da virada, pra mim, foi o episódio em que mataram o personagem de Rodrigo Santoro. A partir dali, a série entrou num modo de contar multiplas histórias ao mesmo tempo, diminuindo a quantidade de episódios em que só uma linha narrativa acontecia e que dava a sensação de que a trama não avançava.

Então Lost é uma série quebra-cabeça, sim. As perguntas e os mistérios são uma parte enorme da diversão. Mas ninguém compra um quebra-cabeça e deixa ele na caixa (ou pelo menos não devia fazer isso). Parte da graça está em montar a coisa toda. E o grande cenário está começando a se formar. Ainda falta um monte de pedaços, mas a gente já tem uma parte enorme da moldura. E a figura geral me parece muito, muito legal.

Mas falando do episódio dessa semana…

Nossos heróis de volta à Ilha. Ainda não sabemos em que estado vamos encontrar todo mundo. Em que ponto a história dos diversos personagens vai se cruzar. Quem está vivo, quem morreu, quem foi parar aonde.

O episódio nos mostrou como os personagens foram parar lá e deixou várias lacunas bem interessantes. Me parece óbvio que vamos ter episódios para nos explicar o que aconteceu com Ben, Kate, Hurley, Sun e Sayid. Só acompanhamos Jack e não sabemos exatamente o que aconteceu com os outros no fatídico último dia deles no mundo exterior.

E esse episódio foi marcante e crucial para a jornada de Jack, o herói da série. Uma das características fascinantes do personagem sempre foi o fato de que ele está longe de ser perfeito. Ele não queria ser o herói. Ele hesitou, se debateu, se recusou a crer que havia um destino reservado. Mas agora, finalmente, ele começa a aceitar que tem um papel, que as pessoas esperam algo dele e que não há como fugir disso, pelo menos na realidade e na lógica da mitologia de Lost.

E esse é o episódio em que vemos Jack acordando para o seu papel. Há o momento em que ele recebe a carta de Locke, há o momento em que ele coloca os sapatos, há o momento em que ele finalmente lê a mensagem. Mas há, acima de tudo, a hora em que ele, vendo Hurley em perigo, salta no lago. É seu rebatismo.

Eu acho que, daqui em diante, veremos um Jack resoluto, assumindo o papel de líder de fato e de direito. Custe o que custar. E você? O que está achando da temporada? Gostou? Está decepcionado? Não suporta a chatice do Jack? Diga lá!

Conte para os amigos!