BSG s04e14: Ready. Aim. Fire!

E a casa caiu. A traição de Gaeta e Zarek se concretizou. O destino da frota está em jogo. Episódio de tirar o fôlego do início ao fim.

O que vai irritar muita gente é o fato de que, de novo, deixaram de lado a questão do quinto cylon. Mas tínhamos algo mais quente ocupando nossas cabeças por alguns momentos. Afinal, Zarek mandou matar todo o conselho, porque eles não queriam reconhecê-lo como o novo líder da humanidade. Gaeta toma coragem e manda fuzilar Adama. Isso não tem como acabar bem. Dá para notar que, ao fim desse episódio, não vão haver apertos de mão. Ninguém vai fazer as pazes e ficar amiguinho. São escolhas definitivas.

O que eu sinto falta em alguns momentos na série é que a narrativa é tão concentrada no centro de comando que a gente perde a perspectiva do que está acontecendo nas outras naves. Seria legal saber como foi, para eles, a incerteza daquelas horas em que o golpe estava sendo executado e a frota ficou num vácuo de comando. O que essas pessoas pensaram?

Um dos pontos altos do episódio foi a complexa interação entre o idealismo de Gaeta (sim, idealismo) e a sede de poder e pragmatismo de Zarek. Ele chegou muito perto de ter tudo. Nele, a mistura de político com líder ambicioso acabou sendo malfeita.

Outra coisa interessante é a forma como as pessoas adoram o Baltar e eu simplesmente não engulo o personagem. Acho ele insuportável. Não entendo a fascinação das pessoas por um ser desprovido de toda ética, um verdadeiro verme de primeira linha. Sempre murmurando, sempre perdido num poço de nascisismo. Ugh! Mas lá está ele sempre no centro. E cercado de mulheres. Ai, ai.

No endgame, Adama pronto para ser fuzilado. Zarek está lá tentando convencer Roslin a se entregar e mente. Primeiro repete a cascata de que Saul tinha sido assassinado. E agora avisa que Adama bateu as botas. Adoro a reação dela. “Não vou descansar. Vou atacar você até minha última bomba!”. Vamos lembrar que quando Roslin foi embora da Galactica, no episódio anterior, Adama se despediu dela com o um “I See You Soon”. Claro que a frase tem sentido dúbio. Como Roslin está morrendo, havia ali um sentido de que, se ele fosse capturado e assassinado, ainda assim poderia se encontrar com ela de novo. Adama estava pronto para morrer.

E ele cospe no chão diante do pelotão de fuzilamento. Vai até o último momento sem se curvar. Claro, é salvo no último momento e reconquista o controle da nave. A questão que vai na cabeça do espectador agora é: o que ele vai fazer? Vai mostrar misericórdia?

Não. O que foi feito não tinha volta. Gaeta e Zarek sabiam disso. Pronto. Apontar. Fogo!

Galactica tem o péssimo hábito de vir com episódios chatos depois de sequências fantásticas. Espero que eles não inventem de enrolar semana que vem. Vamos ver o que acontece depois do golpe, o reequilíbrio político e a reconstrução do conselho? E o quinto Cylon? E o novo rumo da humanidade? Faltam seis episódios, pessoal. Não vale enrolar.

Conte para os amigos!