23 e eu e você (atualizado)

A esposa de um dos bilionários do Google criou uma nova empresa chamada 23 and Me.

O serviço: você passa um cotonete na boca, manda para eles e recebe seu perfil genético, com informações que incluem a chance de você desenvolver câncer ou ter um infarto.

Parece legal, né?

Mas basta pensar um pouquinho que a coisa começa a ficar assustadora. Digamos que você usa esse serviço e descobre que pode ter câncer aos 50. Veja bem: pode. Não VAI ter câncer. PODE ter câncer. Digamos que, de alguma forma, essa informação se torna pública e cai na mão ou do seu empregador ou do seu plano de saúde. O que eles fariam?

Isso é só uma pequena parte dos problemas que esses avanços podem trazer se não forem discutidos e legislados de forma correta. Eu digo “problemas” porque nós sempre sabemos muito bem os benefícios desses avanços. Poder fazer exames profiláticos periódicos para evitar um câncer possível é algo desejável e que vai salvar milhares de vidas.

Ma, considerando que sempre há gente fazendo lobby a favor das corporações, não é difícil passar uma lei em que as empresas tenham o direito de saber se seus empregados PODEM ficar doentes ou não. Afinal, essa é uma informação legítima, diriam eles. Logo, logo, vamos estar fazendo testes genéticos junto com exames de admissão em empresas ou na hora de entrar num novo seguro saúde. As consequências… Bem, basta imaginar.

De vez em quando, eu realmente me pergunto se quero que certos avanços aconteçam…

Atualização: A Wired fala da 23 and Me

Conte para os amigos!